Barry Callebaut Enfrenta Dificuldades com Aumento dos Preços do Cacau

Na quinta-feira, as ações da Barry Callebaut, uma das maiores fabricantes de chocolate do mundo, sofreram uma queda significativa de 9% nas negociações matinais, atingindo 1.452 francos suíços por ação. Este é o pior desempenho da empresa desde 2015 e a maior queda registrada no índice STOXX 600 em toda a Europa.

A principal preocupação dos investidores é o impacto do aumento dos preços do cacau no fluxo de caixa da empresa. Jean-Philippe Bertschy, analista da Vontobel, destacou que “o mercado percebe que o alto preço do grão de cacau está tendo um impacto significativo no fluxo de caixa livre e nos custos de financiamento”. Para mitigar essa pressão, Barry Callebaut emitiu 6 títulos no valor de 2 bilhões de francos suíços (aproximadamente US$ 2,23 bilhões) nos últimos seis meses.

Impacto Financeiro e Operacional

A apresentação de resultados da empresa revelou um impacto negativo de 1,1 bilhão de francos suíços no fluxo de caixa livre no primeiro semestre do ano fiscal, que termina em agosto. Além disso, a Barry Callebaut sinalizou que mais encargos são esperados no segundo semestre devido aos altos preços do cacau. Nos primeiros nove meses até maio de 2024, os preços do grão de cacau foram 131% mais altos em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo dados do mercado terminal de Londres.

Desempenho das Vendas e Riscos Futuro

Os volumes de vendas de chocolate da Barry Callebaut caíram 0,3% no terceiro trimestre encerrado em maio, com uma queda significativa de 7% no Leste Europeu. Andreas von Arx, analista da Baader Helvea, mencionou que essa desaceleração na região pode ser uma indicação precoce de riscos futuros decorrentes de novos aumentos de preços globalmente, sugerindo que esses níveis parecem estar acima da média histórica.

Efeito Cascata

O impacto negativo no desempenho das ações da Barry Callebaut também afetou outras empresas do setor, como a fabricante suíça de chocolates Lindt & Sprüngli, cujas ações caíram 2%. Isso demonstra como o aumento dos preços do cacau está afetando a indústria de chocolates como um todo, criando um ambiente desafiador para todas as empresas do setor.

A Barry Callebaut está enfrentando um cenário financeiro complexo devido ao aumento dos preços do cacau, o que está pressionando significativamente seu fluxo de caixa e aumentando seus custos de financiamento. A resposta da empresa até agora tem sido a emissão de dívidas para tentar compensar essas pressões, mas os investidores estão claramente preocupados com o impacto contínuo desses altos preços. A empresa precisará adotar estratégias eficazes para mitigar esses desafios e estabilizar seu desempenho financeiro nos próximos meses.

Fonte: mercadodocacau com informações reuters

Curtiu esse post? Compartilhe com os amigos!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

3 Comments

  1. Kevin Santos disse:

    Que pena!

  2. Jouber Costa disse:

    Pois é né… e a culpa é do CACAU ?
    Não houveram lamentos qdo padecemos por causa dos preços insignificantes q os agricultores recebiam aqui e no resto do Mundo .. só SEIS % do negocio do cacau retornava aos bolsos vazios dos produtores !
    A conta chegou !

    • António Manuel Pinheiro disse:

      A Callebaut, como aliás todas as demais, têm gordura suficiente para suportar a alta atual do preço das amêndoas de cacau. Jamais se inibiram do triste papel exploratório a que submeteram populações inteiras de países produtores como a Costa do Marfim e Gana, ao nem sequer proporcionarem preços mínimos de sobrevivência. Hoje, algo mudou e no futuro, devido às mudanças trazidas pela informação, deverão se contentar com lucros menores, porque é lícita uma maior equidade no sistema de negociação dos preços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *