Saiba por que o Mapa autorizou importação de café do Peru

Em seus últimos momentos como ministra da Agricultura, Kátia Abreu decidiu suspender a importação de café verde em grão do Peru. A decisão causou revolta no setor, que alega que a medida poderia trazer para o Brasil problemas fitossanitários e além do café prejudicar outras culturas como o cacau e cupuaçu. No entanto, segundo informações do jornal Valor Econômico, a medida do Mapa (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) teria sido um acordo entre o governo dos dois países.
Em troca da autorização do café peruano no Brasil, o governo peruano abriria as portas para o mercado de carne suína, principalmente, do Acre, estado vizinho. A importação do grão já havia sido autorizada em abril de 2015, mas foi suspensa após forte reação dos cafeicultores.

Segundo a matéria do Valor, a negociação com o governo do Peru ocorre desde o ano passado e envolveu os petistas, Tião Viana, governador do Acre e seu irmão, o senador Jorge Viana, além de representantes de frigoríficos locais. Os acreanos teriam procurado a ministrado e manifestado o interesse em exportar carne suína para o vizinho Peru. Em contrapartida, o país pedia a autorização da importação de café verde, demanda antiga das indústrias brasileiras, que desejam complementar seus blends.

Após a publicação da revogação da suspensão de importação de café do Peru no dia 10 de maio, o setor cafeeiro reagiu com força. O CNC (Conselho Nacional do Café) classificou a medida como “algo amador e enormemente irresponsável, haja vista que os peruanos, além do café, cultivam cacau e utilizam os mesmos maquinários em ambas as culturas”. Isso poderia favorecer doenças para o cacaueiro, cujo agente causal é o fungo Moniliophthora roreri, que até o momento não existe no Brasil e que poderia vir nos grãos de café importados do Peru para dizimar os parques cacaueiro e cafeeiro nacionais.

O presidente do CNC, Silas Brasileiro e o novo ministro da Agricultura, Blairo Maggi tiveram reunião ontem (18) em Brasília (DF) para decidir medidas sobre o assunto. De acordo com o Valor, ficou acordado que o ministro analisaria nos próximos dias o pedido do setor para que a portaria fosse revogada.

Procurado pelo Notícias Agrícolas, o Mapa reportou, através de sua assessoria de imprensa, que a informação de que a autorização de importação de café peruano foi um acordo para entrada de carne suína no país vizinho, não procede. Mas que já “vinha negociando diversos produtos com o Peru”. O Ministério estima que deva entrar no Brasil, anualmente, 400 toneladas do café verde peruano. Fonte: Notícias Agrícolas

Curtiu esse post? Compartilhe com os amigos!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *